terça-feira, 4 de março de 2014

Há algo de podre na TV brasileira

Normalmente eu não sou de criar polêmica e ficar colocando lenha da fogueira, pessoalmente ou online. Mas ao ver o programa "Tapete Vermelho do Oscar" da Globo na tarde de ontem (segunda-feira), sobre a cerimônia do Oscar 2014 que ocorreu na noite de domingo (02/03), me senti tão revoltada que preciso desabafar.


Vejam bem, não digo isso porque a Globo decidiu transmitir o carnaval do Rio ao invés da cerimônia do Oscar ao vivo. Ao meu ver isso foi uma decisão puramente lógica: não faria sentido trocar uma programação tradicional que "faz parte da cultura brasileira", pela transmissão de uma premiação estrangeira, voltada para um público mais restrito. Nem esperava que houvesse mais do que um breve compacto nos jornais, então fiquei feliz quando vi que haveria um programa chamado "Tapete Vermelho do Oscar", "preparado por um time de especialistas cheios de opiniões sobre os looks, maquiagem, atuação, discursos e tudo que passa na maior premiação do cinema mundial".

Vi a propaganda do tal programa na TV e online tive mais informações: "Para falar sobre os erros e os acertos nos looks, maquiagens e cabelos, a jornalista e consultora de moda Erika Palomino e a apresentadora e publicitária Julia Petit comentam tudo sobre os artistas que vão brilhar no tapete vermelho. Apaixonado por cinema, o ator Alexandre Borges fica com a tarefa de analisar os premiados da noite. Para descontrair, a atriz e humorista Monica Iozzi é a garantia de boas risadas durante o programa." Com apresentação de Fernanda Lima, que também é atriz e modelo e direção de núcleo de Luiz Gleiser.


Tudo ótimo, o "time de especialistas" não possui um único crítico de cinema, mas tudo bem, irão comentar "tudo sobre o luxo, o glamour e os premiados da maior passarela da sétima arte". Esperava que fosse um programa com mais informações do que o mostrado nos telejornais pós-cerimônia, tipo um "compacto" recheado com extras, afinal, "o clima é de descontração e muito profissionalismo", certo?

Arrã. Tá bom. Vamos aos infelizes fatos. 

O programa começa e após as devidas apresentações, a pauta é sobre os principais acessórios usados na cerimônia, com destaque para a tiara usada por Lupita Nyong'o, que promete ser tendência. Após o monopólio da conversa pelas mulheres: "Você entendeu o que é tiara, você sabe né?" - dispara Fernanda Lima para Alexandre Borges, fazendo uma mímica do que seria uma tiara. O ator responde com um "É claro, estava linda, maravilhosa, imagina". "O Alexandre é um homem sensível, ele entende tudo o que a gente está falando aqui de roupa" - completa a apresentadora. (?) 


Ao falar sobre as cores mais usadas no tapete vermelho, Alexandre pede explicações sobre o que é nude. "Nude é um novo bege" - explica Erika Palomino. "Falar bege é muito broxante" - completa Monica Iozzi. Gargalhadas (não as minhas). "Mas eu aposto que o Alexandre estava achando que nude era nu, né?" - conclui Fernanda Lima (?) 


Em seguida eles falam positivamente sobre Lupita, sobre alguns casais que desfilaram no tapete vermelho, sobre Cate Blanchet e Jared Leto... Votam sobre os mais "gatos" do Oscar e ao discutirem como se falava o nome de Chiwetel Ejiofor, Julia Petit explica que tanto faz, afinal, "Quem precisa falar com aquele boy lindo?" (?)

Depois começaram a falar de erros, como o fato de Matthew McConaughey parecer um garçom (por Fernanda Lima) e sua esposa brasileira Camila Alves estar vestida de cortina (por Erika Palomino e Julia Petit). Comentários tão sérios e estruturados sobre moda mostram que realmente somos leigos nesse assunto. (?) Segue-se uma longa discussão sobre se é preconceito ou não acreditar que homens vestidos com certo tipo de terno se parecem com garçons, seguida por outra no qual todas concordam que quando uma família vai para o Oscar o look de todos os integrantes devem estar combinando entre si. Concluindo, Fernanda Lima disse que se fosse assim, eles iriam comentar que estava ruim da mesma forma. (?)


Depois falam sobre a queda de Jennifer Lawrence, que, segundo Fernanda Lima, não foi um mico, mas sim um gorila. Vejamos tal tombo cinematográfico: 


Uau. De fato. Nunca vi um tombo pior na minha vida. "Adoro a Jennifer; é uma gafe? Claro que é. Mas é maravilhoso ter alguém que caia, alguém que fique bêbado, que beije alguém que é casado, acho que tem que ter essa coisa de quebrar" - diz Monica Iozzi e vemos Fernanda Lima concordando. (?)

Infelizmente não gravei o programa e mais "pérolas" não podem ser vistas (e revistas) no site oficial da Globo nem no Youtube, somente essas. Mas me recordo de mais duas ótimas: Fernanda Lima explicando o que é uma atriz coadjuvante, pois "a maioria das pessoas não sabe", para em seguida lamentar o fato de Lupita não ter ganho um prêmio "melhor" do que o de melhor atriz coadjuvante, mas que está ótimo, né? Afinal, ela aparece pouco no filme mesmo. WAT?

A segunda foi quando falaram de Frozen. Monica Iozzi disse que os atores estudam anos e anos pra depois vir uma animação e faturar mais dinheiro do que o filme deles. "Deve ser muito frustrante!" - completou. Certamente. Afinal, foram pessoas que nunca estudaram que fizeram essas animações, que criaram os softwares usados nessas animações, que criaram o roteiro, as músicas, que inclusive dublaram os personagens. Oh, muitas vezes são atores que dublam os personagens, que coisa não?!


Vocês podem dizer que isso tudo é implicância minha, mas a chuva de comentários negativos sobre o programa no Twiiter e as resenhas de Gustavo Baena e de Maurico Stycer concordam comigo, contrastando com a única resenha positiva que vi, a da própria Globo. Assim, vemos que não foi só eu que achei o programa simplesmente ridículo, o cúmulo da superficialidade, além de propaganda enganosa - o programa dizia que iria mostrar "tudo que passa na maior premiação do cinema mundial", mas o que tivemos foi muito blablabla com os resultados somente dos prêmios de melhor ator e atriz coadjuvantes, melhor ator e atriz, melhor animação, melhor canção e melhor filme. 7 prêmios de 24. Sendo que se "esqueceram" completamente de Gravidade, que levou inclusive um dos principais prêmios da noite (melhor diretor), junto com outros 6 prêmios!!!


Honestamente? O compacto de qualquer jornal foi mais informativo do que esse programa. E não adianta vir com "ahnn mas tudo mundo sabe que programa na TV aberta é assim mesmo" que me recuso a ouvir esse tipo de comentário. Afinal, devemos nos acostumar com a mediocridade e com as propagandas enganosas? Eu acho que não.

Marque sua passagem por aqui também!

  1. Nossa, Lets! Foi péssimo então! Q bom q não perdi meu tempo assistindo! Bjo, Cintya

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Cintya!!! Espero que nunca mais façam um programa assim - e se o fizerem, não terão minha audiência! Bjs!

      Excluir
  2. Concordo plenamente com você, Let's, o programa foi ridículo! A globo exagerou no nível de futilidade. E o pior é que muitas pessoas formam opinião a partir desse tipo de programa de baixo nível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo Tatá. O poder de formação de opinião a partir dessa mídia é muito grande mesmo!! Não é todo mundo que tem senso crítico pro que vê ou lê. Aí o que vão aprender é que o que importa é a beleza, que animação é coisa de criança etc etc. Simplesmente lamentável...

      Excluir