segunda-feira, 28 de abril de 2014

Thomas Was Alone

Voltando a falar de jogos, hoje temos um que é muito mais profundo do que controlar polígonos para resolver puzzles!


No jogo Thomas Was Alone, criado por Mike Bithell em 2010, controlamos um ou mais polígonos que representam entidades de inteligência artificial que estão começando a adquirir consciência de si mesmas, assim como de outras formas e do mundo que as cercam. Cada forma é única, possuindo habilidades e personalidade própria, incluindo o protagonista Thomas, que é o narrador do jogo. 

Inclusive, acredito que a narração de Danny Wallace é um dos principais fatores para o jogo ser o que é. Sua voz faz com que sintamos imediatamente empatia por aquelas formas geométricas, que nem são humanóides! Não é a toa que ele ganhou o prêmio BAFTA Games Award ano passado, por melhor performance. É através de Wallace e do texto que ele narra que nos divertimos e ficamos emocionados com o jogo; refletimos acerca da própria existência humana colocada como indagações dos personagens. 


O controle do jogo é simples: temos que resolver puzzles através da cooperação entre os personagens, alterando o controle de acordo com as habilidades inerentes de cada um. Acho que de fato a definição mais precisa do jogo pode ser a que o próprio criador faz: um jogo minimalista sobre pulos e amizade. hehehe O demo pode ser encontrado aqui.

Para quem se interessou, aí vai uma boa notícia: Thomas Was Alone está na Humble Weekly Sale! Mas corram, porque resta menos de 3 dias para comprar esse jogo juntamente com outros títulos ótimos como VVVVVV (demo aqui) e ainda ajudar a instituição Direct Relief. E aqueles que pagarem mais do que $6.00 levam mais seis jogos, dentre eles Limbo, outro jogo muuuuito bom!!! Imperdível não é mesmo?


Marque sua passagem por aqui!