sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Leitura de Julho

E chegou a hora de falar sobre a leitura de julho! Mês passado me dediquei a um autor espanhol que adoro: Carlos Ruiz Zafón. Pra quem também o curte ou deseja conhecê-lo, é só continuar lendo!

Já faz um bom tempo que li o primeiro livro da série "O Cemitério dos Livros Esquecidos", chamado "A sombra do vento". Na época eu nem sabia que o livro teria uma continuação; aliás, só fiquei sabendo disso esse ano, de tão tapada! rs Então resolvi tirar o tempo perdido logo, mesmo que minha memória já não fosse tão exata assim sobre os acontecimentos do 1º livro (é pra isso também que servem certas amigas, né, Helena? hehe)

Como é meio difícil falar dos livros sem que as pessoas saibam a sinopse da trilogia mas esta é bem grande, quem se interessar é só clicar aqui e lê-la na descrição do box à venda no Submarino.

Mas em suma, enquanto "O prisioneiro do céu" retoma a narrativa de "A sombra do vento", "O jogo do anjo" volta ao passado, para explorar as relações do escritor David Martín com a família Sempere, em especial com a mãe de Daniel, Isabella. As narrativas dos 3 livros se interlaçam de modo que alguns mistérios de um livro sejam explicados em outro, enquanto a cidade de Barcelona e o Cemitério dos Livros Esquecidos são um fio comum que une todas as obras desta trilogia.

Eu achei a história de "O prisioneiro do céu" muito mais interessante do que a de "O jogo do anjo", não sei se é porque este volta ao passado e isso deixa a cronologia da trilogia confusa, ou porque a trama em si é meio esotérica. Pode ser também porque li "A sombra do vento" há muito tempo e com isso não consegui fazer os ganchos narrativos necessários para tornar a história bacana. Assim, minha sugestão é ler os livros na ordem cronológica para evitar essas confusões: "O jogo do anjo" seguido de "A sombra do vento" e "O prisioneiro do céu".

Seja como for, Zafón é brilhante na retratação de uma Barcelona antiga, antes e durante a ditadura do general Francisco Franco. Sua escrita é cheia de humor e escárnio, muito inteligente, intrigante e atrativa. É muito difícil parar de ler seus livros, do tanto que conseguem ser imersivos! Para finalizar, a existência de um "cemitério" para livros "esquecidos" é uma idéia muito interessante por si só, o que prova que literatura para o autor é algo muito sério, além de uma paixão mesmo. Afinal, de alguma forma toda a trama possui uma correlação, direta ou indireta, com um ou mais livro(s) ou mesmo com a livraria Sempere. Isso para mim é algo muito bacana, afinal, não é sempre que lemos livros que têm como pano de fundo.. livros! rs 

O que acharam dessa trilogia? Já leram algum outro livro de Zafón? Deixem nos comentários! :)

Marque sua passagem por aqui!