segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Leitura de Dezembro e Janeiro

Dezembro e janeiro foram meses um pouco conturbados pra mim. Muita coisa acontecendo, no campo pessoal e profissional. Com isso, é claro que a leitura ficou atrasada... e como! Espero que a partir de fevereiro as coisas se acertem e eu possa voltar com minha meta de um livro por mês!

Ganhei de aniversário ano passado o primeiro livro da renomada Trilogia da Fundação (1951-1953) de Isaac Asimov (obrigada Mayumy!). Tive que estender a leitura por cerca de um mês, pois eu estava super atarefada, o que é uma vergonha porque o livro nem é grosso! Além disso, foi a primeira vez que descumpri com minha meta de ler um livro por mês... :(


Deixando o desapontamento comigo mesma de lado, nesta história de ficção científica temos um futuro no qual a raça humana se espalhou por planetas e mais planetas dispostos por todo o universo. A mais de 10 mil anos o Império Galático reina absoluto sobre todos os mundos habitados. Entretanto, para Hari Seldon, o criador de uma ciência revolucionária capaz de prever o futuro, os tempos de prosperidade estão chegando ao fim.

O livro pode parecer meio complicado a princípio, pois são muitas terminologias e personagens novos de uma vez, mas ao poucos tudo vai ficando mais claro e é possível apreciar a maestria com a qual Asimov desenvolve sua história. Adorei o fato da ciência revolucionária de Hari Seldon ser uma mescla de matemática e sociologia - e as reviravoltas da trama são sensacionais! Tudo indica que os próximos livros serão também bons, visto que a trilogia completa foi eleita em 1966 como a melhor série de ficção científica de todos os tempos, desbancando concorrentes como O Senhor dos Anéis de Tolkien! Mal posso esperar para ler os outros dois!

O outro livro que li em janeiro foi Jogador Nº1 (2011), de Ernest Cline. Uma grata surpresa, indicada por Fernanda quando estávamos no stand da Leya na Comic Con Experience em São Paulo! Se você curte videogames, jogos digitais e cultura pop dos anos 80-90 (como eu!) você tem grandes chances de gostar muito desse livro!


Estamos em 2044, um futuro decadente no qual a utopia virtual gerada pela OASIS é uma necessidade. Bilhões de pessoas escapam de suas vidas reais medíocres para viver uma fantasia virtual na qual podem ser quem quiserem, em mundos tão diversos como a Terra Média ou Azeroth. Milhões usam a OASIS para trabalhar e/ou estudar. E alguns milhares estão em busca do grande prêmio escondido no meio de tanta informação, um easter egg que gerará fortuna e fama instantâneas para quem o encontrar. Esse é o objetivo de vida do adolescente Wade Watts.

Não preciso nem dizer que devorei o livro, né? Mesmo que em algumas partes até eu tenha ficado perdida no meio de tantas referências geeks... O mais interessante pra mim, no entanto, nem foi a história em si, mas sim a crítica à substituição da realidade pela virtualidade (algo cada vez maior nos dias atuais). Será que em 29 anos estaremos como no livro? Espero encarecidamente que não...

Marque sua passagem por aqui!